Novas regras serão publicadas em 12 de abril pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

A partir do dia 12 de abril, os consumidores passam a contar com uma nova referência de qualidade dos salões de beleza brasileiros. Começa a valer a primeira norma técnica do País para esse setor, que padroniza termos e serviços. Os salões que aderirem à norma vão facilitar o entendimento de clientes e profissionais sobre procedimentos e aumentar a segurança de que o serviço buscado pelo consumidor é compatível com o que é oferecido pelo salão.

“É a primeira norma técnica do País para salão de beleza. Mais uma contribuição da ABNT para os profissionais que tornarão seus estabelecimentos mais competitivos, e para os clientes que terão acesso a serviços com mais qualidade e segurança. Essa norma é importante por abranger todo o setor de serviços, o qual reflete diretamente no cliente”, afirma Pedro Buzatto Costa, presidente da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A norma explica, por exemplo, o termo escova progressiva e aponta a diferença entre manicure e designer de unhas (veja o quadro abaixo). “Para que possamos avançar nos programas de qualidade no setor é determinante que todos falem uma mesma língua, pois não podemos falar em boas práticas se cada profissional der sua própria definição para os serviços”, explica o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Esse é o primeiro passo para a organização de um setor que reúne mais de 500 mil estabelecimentos formais no Brasil. Cerca de 90% deste total são de empresas de micro e pequeno porte. “Para se ter uma ideia do crescimento do mercado, a cada mês são abertos 8 mil salões de beleza no Brasil”, acrescenta Barretto. A adoção dos estabelecimentos à norma técnica é voluntária. Para Sandra de Almeida, dona do salão carioca Tesoura Mágica, “essa norma vem em ótima hora, justamente por auxiliar na organização do setor e colaborar para uma padronização do atendimento”. 

As novas regras foram produzidas graças ao convênio firmado entre Sebrae e Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), juntamente com a Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). Essas instituições participam, juntas, da Comissão de Estudo para Normalização de Serviços de Beleza, formada também por donos de salões, cabeleireiros, sindicatos, representantes da indústria de cosméticos e de outros tipos de empreendimentos ligados ao segmento.

De acordo com o presidente da Abihpec, João Carlos Basilio, “O setor de Serviços Profissionais está em plena ascensão no Brasil e, por conta da dimensão do País, é essencial que exista uma padronização das normas nos serviços oferecidos pelos Salões de Beleza, para que de norte a sul a expansão seja sólida e de qualidade. As oportunidades de crescimento desse setor são bastante promissoras e estão intimamente ligadas à mudanças no perfil demográfico, social e econômico da sociedade brasileira. Essas mudanças devem forçar modificações importantes no segmento de salões de beleza, abrindo oportunidades para aqueles que ousarem inovar e aqueles que seguirem os novos padrões de saúde e higiene”.

“Além da norma de terminologia para estabelecimento de beleza, que estamos lançando, há um projeto previsto para Consulta Nacional, que abordará requisitos de boas práticas na prestação de serviços para os estabelecimentos. A ABNT se sente satisfeita por contribuir para a melhoria do setor, agregando qualidade aos serviços prestados, e atrair clientes satisfeitos”, finaliza Pedro Buzatto Costa, presidente da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Várias reuniões para debate e aprovação da norma técnica foram realizadas em 2013 nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Vitória (ES) e Porto Velho (RO). O processo contou com a participação de 400 profissionais de beleza, além de representantes de instituições de ensino, sindicatos e indústrias. Se houver demanda do mercado, a norma pode ser atualizada a qualquer momento para incluir outros termos e procedimentos. Esta norma ainda conta com a parceria com o Sebrae para empresários de pequenos negócios que poderão adquirir a norma por 1/3 do seu valor. Basta acessar o sitewww.abnt.org.br/paginampe  e fazer o cadastro.

Perspectivas

O trabalho da Comissão prevê ainda novas normas que vão incluir procedimentos padrões de boas práticas, com exigências sanitárias e de higiene e segurança, além de recomendações para a formação profissional no segmento, orientações sobre móveis e instalações, e ainda na área de meio ambiente e sustentabilidade.

O empresário Marcos Rogério, proprietário do salão MC Cabeleireiros, em São Paulo, comemora a adoção de termos padronizados em um setor em crescente e desigual expansão. “A ausência da padronização de serviços contribui para que certos procedimentos causem riscos à saúde do cliente”, afirma.

Exemplos de definições na norma técnica

Escova progressiva: procedimento para deixar os cabelos lisos utilizando produtos que possuem, em sua composição, substâncias ativas com a função de alisar temporariamente.

- Durante a aplicação do produto, é utilizada uma fonte de calor, como secador de cabelo e/ou prancha (piastra).

- O resultado obtido pela escova progressiva é temporário, permitindo que os fios alisados geralmente voltem ao formato original.

- É necessário verificar se as substâncias utilizadas são permitidas pela Anvisa.

Coloração permanente: procedimento de coloração dos cabelos por meio de combinações, composições e neutralizações de cores e contrastes, por meio de pigmentos naturais ou sintéticos, podendo produzir clareamento.

Coloração semipermanente (tonalização): procedimento de tonalização temporária dos cabelos por meio de combinações, composições e neutralizações de cores e contrastes, por meio de pigmentos naturais ou sintéticos.

Manicure: procedimento que pode incluir limpeza, remoção parcial de cutículas e esmaltação das unhas das mãos.

Design de unhas: procedimento para alongar, reconstruir e decorar as unhas das mãos e dos pés. É necessário verificar se as substâncias ativas utilizadas são permitidas pela Anvisa.

 

Pedicure: procedimento que pode incluir limpeza, remoção parcial de cutículas e esmaltação das unhas dos pés. Os serviços de podologia – onocriptose (unha encravada), tratamento de doenças, remoção de calosidades etc. – não estão incluídos no serviço.

Embelezamento do olhar: procedimento que visa estilizar as sobrancelhas e os cílios, por meio da remoção de fios ou coloração dos cílios.