A falta de manutenção desses equipamentos, principalmente em prédios antigos, causa problemas que podem ser evitados com a aplicação de normas técnicas.

A experiência de utilizar elevadores que ficam travados no meio do trajeto, apresentam trancos e desníveis ou fazem ruídos demais é sempre assustadora. Falhas técnicas e mecânicas são mais comuns em prédios antigos, quando a manutenção é negligenciada, mas basta cumprir requisitos estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para que esses problemas sejam evitados.

Uma avaliação do Sindicato das Empresas de Elevadores de São Paulo (Seciesp) aponta que cerca de 70% dos elevadores em uso no Brasil precisam de modernização, têm cabines ultrapassadas e comandos de botões que não funcionam. A troca dos quadros de comando eletromecânicos por outros de comando microprocessados, por exemplo, não só evita falhas técnicas, como ajuda a reduzir o consumo de energia em até 70%.

O descaso na manutenção resulta em desconforto para os usuários e até ocorrências mais graves, apesar da existência de leis, em cada município, determinando a obrigatoriedade de alvará de instalação emitido pela Prefeitura e regras para conservação e inspeção de acordo com as normas da ABNT, além de penalidades nos casos de infração. Embora o elevador seja considerado um meio de transporte seguro, em 2017 já foram registrados no País quatro casos de quedas e falhas que causaram a morte de usuários, de acordo com o Seciesp.

No município de São Paulo, por exemplo, é a Lei nº 10.348 de 4 de setembro de 1987, que dispõe sobre instalação e funcionamento de elevadores e outros aparelhos de transporte e obriga a aplicação de normas da ABNT. Há ainda um conjunto de outros 11 documentos, entre leis e decretos, que regulam o assunto, envolvendo desde a afixação de placas informativas até emissão do Relatório de Inspeção Anual via internet.

Reparos no equipamento são orientados pela norma ABNT NBR 16083:2012 - Manutenção de elevadores, escadas rolantes e esteiras rolantes — Requisitos para instruções de manutenção. Elaborada pelo Comitê Brasileiro de Máquinas e Equipamentos Mecânicos (ABNT/CB-004), a norma especifica os elementos necessários para operações de manutenção de elevadores de passageiros, elevadores de cargas, elevadores de passageiros e cargas, monta-cargas, escadas rolantes e esteiras rolantes.

A ABNT NBR 16083:2012 aborda, entre outros itens, lubrificação e limpeza; verificação das funcionalidades; operações de resgate de passageiros; operações de configurações e ajustes; reparos ou mudanças de componentes que podem ocorrer devido ao desgaste e que não afetem as características da instalação.

Normalização

Várias outras normas sobre elevadores, além da ABNT NBR 16083:2012, são disponibilizadas pela ABNT e contemplam também a questão da acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Alguns documentos têm validade em toda a área do Mercosul, sendo identificados como ABNT NBR NM. Confira:

Sobre a ABNT

A ABNT é o Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela gestão do processo de elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC), influenciando o conteúdo de normas e procurando garantir condições de competitividade aos produtos e serviços brasileiros, além de exercer seu papel social. Além disso, a ABNT também é um Organismo de Avaliação da Conformidade acreditado pelo Inmetro para a certificação de diversos produtos, sistemas e programas ambientais, como o rótulo ecológico e a verificação de inventários de gases de efeito estufa.

Assessoria de Imprensa

Monalisa Zia

11 3017.3660

imprensa@abnt.org.br