O material, se utilizado adequadamente, ajuda a reduzir os efeitos da poluição sonora, a segunda maior causa de doenças no mundo, de acordo com a OMS.

Depressão, surdez, agressividade, perda de concentração, dores de cabeça, insônia, gastrite e redução da libido são alguns dos males causados aos seres humanos pelo excesso de ruído. Embora as reações possam variar de uma pessoa para outra, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a poluição sonora um problema de saúde pública. Por isso é fundamental que todo projeto de arquitetura e engenharia contemple o isolamento acústico, que tem o vidro como importante aliado.

A Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos (Abravidro), entretanto, alerta que o vidro precisa ser especificado corretamente. O auxílio vem da norma ABNT NBR 15575-4:2013 -   ABNT NBR 15575 — Edificações habitacionais — Desempenho. Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas — SVVIE, elaborada pelo Comitê Brasileiro da Construção Civil (ABNT/CB-002). Esta parte da ABNT NBR 15575 estabelece os requisitos, os critérios e os métodos para a avaliação do desempenho de sistemas de vedações verticais internas e externas (SVVIE) de edificações habitacionais ou de seus elementos.


Embora não defina um tipo de vidro ou uma espessura específica do material para proporcionar o isolamento acústico, a norma técnica recomenda que se faça ensaio do conjunto de vedação para verificar se seu desempenho é satisfatório para a classe de ruído à qual se destina. O Laboratório de Conforto Ambiental e Sustentabilidade de Edifícios (LCA) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realiza ensaios desses sistemas, avaliando e elaborando recomendações de intervenções na edificação ou no seu projeto, quando necessárias.

Numa tabela da ABNT NBR 15575-4:2013 são relacionadas, por exemplo, três classes de ruído e o desempenho esperado do conjunto de vedação da fachada:

  • Classe I — Habitação localizada distante de fontes de ruído intenso de quaisquer naturezas - Desempenho mínimo: redução sonora igual ou maior que 25 dB – Desempenho intermediário: redução sonora igual ou maior que 30 dB – Desempenho superior: redução sonora igual ou maior que 35 dB
  • Classe II — Habitação localizada em áreas sujeitas a situações de ruído não enquadráveis nas classes I e III - Desempenho mínimo: redução sonora igual ou maior que 30 dB – Desempenho intermediário: redução sonora igual ou maior que 35 dB – Desempenho superior: redução sonora igual ou maior que 40 dB
  • Classe III — Habitação sujeita a ruído intenso de meios de transporte e de outras naturezas, desde que esteja de acordo com a legislação - Desempenho mínimo: redução sonora igual ou maior que 35 dB – Desempenho intermediário: redução sonora igual ou maior que 40 dB – Desempenho superior: redução sonora igual ou maior que 45 dB
  • ABNT NBR 12067:2017 – Vidro plano - Determinação da resistência à tração na flexão. Especifica um método para a determinação da resistência à tração na flexão de vidros planos. Adicionalmente, apresenta o procedimento para a medição da flexão máxima oriunda do carregamento, a ser determinado sempre que houver interesse.
  • ABNT NBR 14564:2017 - Vidros para sistemas de prateleiras - Requisitos e métodos de ensaio. Especifica os requisitos de desempenho e o método de ensaio necessários para garantir a segurança da aplicação do vidro na composição de sistemas de prateleiras.
  • ABNT NBR 7199:2016 - Vidros na construção civil — Projeto, execução e aplicações. Esta norma, com 57 páginas, foi totalmente atualizada e é considerada o mais importante texto técnico do setor vidreiro. Numa tabela, define os diversos tipos de vidros e suas mais novas aplicações.

           
De acordo com a OMS, um ruído de 50 decibéis (dB) já prejudica a comunicação e, a partir de 55 dB, pode causar estresse e outros efeitos negativos. Ao alcançar 75 dB, o ruído apresenta risco de perda auditiva se o indivíduo for exposto por períodos de até oito horas diárias.A poluição sonora, que atinge 10% da população mundial, ocupa o segundo lugar no ranking da Organização como maior causadora de doenças, sendo superada apenas pela atmosférica.


Outras normas


A Abravidro responde pela Secretaria Técnica do Comitê Brasileiro de Vidros Planos (ABNT/CB-037), que atua na normalização referente a materiais e propriedades dimensionais,
no que concerne a terminologia, requisitos, métodos de ensaio e generalidades.


Estão disponíveis mais de 30 normas técnicas, sendo de publicação mais recente as seguintes:


Sobre a ABNT


A ABNT é o Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela gestão do processo de elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC), influenciando o conteúdo de normas e procurando garantir condições de competitividade aos produtos e serviços brasileiros, além de exercer seu papel social. Além disso, a ABNT também é um Organismo de Avaliação da Conformidade acreditado pelo Inmetro para a certificação de diversos produtos, sistemas e programas ambientais, como o rótulo ecológico e a verificação de inventários de gases de efeito estufa.

 

Assessoria de Imprensa

Monalisa Zia
11 3017.3660
imprensa@abnt.org.br