O Comitê Brasileiro de Aeronáutica e Espaço tem mais de 200 Normas Brasileiras publicadas.

                Inicialmente denominado Comitê Brasileiro de Aeronáutica e Transporte Aéreo, o ABNT/CB-008 foi criado com a reforma do Estatuto da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), aprovada em Assembleia Geral Extraordinária realizada em 06 de maio de 1968, no Rio de Janeiro. Na mesma ocasião, outros 16 Comitês Brasileiros passaram a compor a estrutura do Foro Nacional de Normalização.

               O ABNT/CB-008 é o responsável pela coordenação da normalização aeroespacial, em nível nacional, de materiais, componentes e equipamentos, com o objetivo de atender as atividades de projeto, fabricação, ensaios, avaliação, manutenção de subsistemas de aeronaves e veículos espaciais. Elabora também as normas técnicas de materiais e equipamentos e a correspondente manutenção na área de infraestrutura aeroespacial.

                Com um acervo de 206 Normas Brasileiras, o ABNT/CB-008 procura se manter alinhado à normalização internacional. “Temos como uma de nossas principais conquistas a participação na ISO, assumindo a liderança de vários projetos de normas internacionais”, relata o superintendente João Batista de Castro Matos.

                Um fato curioso na história do ABNT/CB-008 é que apenas começou a funcionar alguns anos depois. Ainda em 1968, após a realização do 1º Congresso Nacional de Normalização, em suas instalações, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica, passou a diligenciar junto à comunidade as formas de apoio para a ativação do Comitê. Sem encontrar grande ressonância, o próprio Departamento, na década de 1970, resolve assumir as atividades e encargos da Secretaria Técnica. Um de seus engenheiros, Milton Naranjo, tornou-se o primeiro presidente do Comitê, sendo reeleito para o mandato seguinte.

                Uma Comissão de Coordenação foi composta com a finalidade de delinear as ações iniciais para a ativação do Comitê. A sua primeira reunião foi realizada no dia 13 de Julho de 1978, no DCTA.  Outras duas ocorreram em agosto e setembro daquele ano. No dia 28 de março de 1979 foi apresentado o primeiro Relatório, ficando definido que o DCTA continuaria a fazer o Secretariado do Comitê, sediando estas atividades no Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI). Em 1979, o Conselho Técnico da ABNT aprovou a nova denominação e o escopo do Comitê.  

Tendência internacional

                Os Comitês Brasileiros assumiram, de acordo com o Estatuto de 1968, a função de órgãos de planejamento, coordenação e controle das atividades exercidas por um grupo de Comissões de Estudo relacionadas com determinado âmbito de normalização. A recomendação era que fossem instalados individualmente, “de modo a tirar o máximo de proveito de tal instalação em benefício da ação normalizadora em que todos estão empenhados”.

               Segundo o diretor técnico da ABNT, Eugenio Tolstoy De Simone, essa estruturação foi feita seguindo uma tendência internacional de se agrupar os trabalhos de normalização em setores importantes da economia. “A partir desse momento, a normalização brasileira foi apresentando um maior desenvolvimento, de modo que hoje a ABNT conta com mais de 200 Comitês Técnicos, que realizaram, em 2017, mais de 1000 reuniões, com mais de 11 mil participações”, ele afirma.

                Essa nova estrutura, como ressalta o diretor técnico, permitiu também uma atuação mais consistente e coordenada da ABNT nos Comitês Técnicos dos foros internacionais de normalização. Com o passar do tempo e como já se previa em 1968, alguns desses Comitês foram desdobrados, ou tiveram a denominação reformulada, outros entraram em recesso, mas a maioria prossegue oferecendo relevantes contribuições e reunindo conquistas que beneficiam toda a sociedade.         
         

Sobre a ABNT

A ABNT é o único Foro Nacional de Normalização, por reconhecimento da sociedade brasileira desde a sua fundação, em 28 de setembro de 1940, e confirmado pelo Governo Federal por meio de diversos instrumentos legais. É responsável pela elaboração das Normas Brasileiras (NBR), destinadas aos mais diversos setores. A ABNT participa da normalização regional na Associação Mercosul de Normalização (AMN) e na Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (Copant) e da normalização internacional na International Organization for Standardization (ISO) e na International Electrotechnical Commission (IEC). 

Assessoria de Imprensa

Monalisa Zia
imprensa@abnt.org.br
11 3017.3660