Convnio Sebrae ABNT

Normalização para Grandes
Empresários de Pequenos Negócios

 

Norma de blocos vazados chega à quarta versão

Em seis anos, texto que define métodos de ensaio foi revisado três vezes; versão mais recente foi publicada no dia 26 de abril.

A NBR 12118, que define os métodos de ensaio dos blocos vazados de concreto simples para alvenaria, acaba de ganhar sua quarta versão em menos de seis anos. O novo texto, publicado no último dia 26 de abril pelo Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT/CB-18), já está em vigor.

Geralmente as normas são atualizadas a cada cinco anos, segundo diretrizes da própria ABNT, mas a NBR 12118, criada em 2007, já foi revisada em 2010, em 2011 e, por fim, em 2013. "Os avanços laboratoriais e as necessidades no canteiro de obra acabaram exigindo atualizações mais constantes", explica Emerson Cremm Busnello, diretor técnico da Qualitec, que também integrou a comissão de estudo responsável pela revisão da norma.

Essas mudanças frequentes, segundo ele, representam a "evolução dos processos tecnológicos" e remetem à "confiabilidade necessária" para esse tipo de norma. Mesmo com tantas versões, a NBR 12118 mantém o objetivo central do primeiro texto, com a especificação dos métodos de ensaio para análise dimensional e determinação da absorção de água, da área líquida, da resistência à compressão e da retração por secagem em blocos vazados de concreto simples para alvenaria.

"O que foi feito foi o ajuste na metodologia para reduzir a dispersão dos resultados dos ensaios", relata Busnello. "O mesmo lote avaliado por laboratórios ou especialistas distintos acabava tendo resultados significativamente diferentes. Isso nos levou a detalhar a metodologia de ensaio visto que ela podia ter interpretações distintas", acrescentou ele, ao justificar a necessidade de revisão da linguagem na quarta versão do texto.

A nova norma também veio atender a uma reivindicação do próprio setor, aponta o diretor técnico da Qualitec. "Com o texto de 2011, o controle da umidade relativa dos blocos já havia sido introduzido, entretanto, fez-se necessário adequar a aparelhagem especificada para que não houvesse incremento no custo dos ensaios e consequente encarecimento." Como alternativa à preparação do bloco, antes do ensaio, o material deve passar 24 horas em uma estufa a 40°C ou três dias em um ambiente laboratorial para uniformização da umidade.

Houve ainda uma alteração na faixa de umidade definida para a realização do ensaio, que agora depende da resistência do bloco. "Para materiais com resistência superior ou igual a 8 MPa, a umidade especificada passa a ser 40 ± 20%. Para resistência inferior a 8 MPa, 25 ± 15%", descreve Busnello. Ele cita, ainda, a mudança na velocidade do carregamento dos blocos no processo. "Foi determinada velocidade maior de carregamento para blocos de maior resistência e, consequentemente, uma velocidade menor para blocos de menor resistência."

Concreto celular atualizado

Cinco normas de blocos de concreto celular autoclavado passaram por recente revisão do Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT/CB-18). São elas: ABNT NBR 14956-1:2013, ABNT NBR 14956-2:2013, ABNT NBR 13440:2013 e ABNT NBR 12118:2013. Além dos requisitos e dos métodos de ensaios, os novos textos normativos, que estão em vigor desde o fim de maio, também especificam a execução de alvenaria sem função estrutural com argamassa colante industrializada e argamassa convencional. "A revisão das normas foi necessária para confirmação da atualidade", afirma Paul Wroclawski, coordenador da Comissão de Estudos do Concreto Celular Autoclavado, que acrescentou que não há grandes mudanças nas novas versões. "Algumas correções tiveram de ser feitas para adequá-las às novas regras da ABNT no que se refere à formatação dos textos e nomenclatura dos materiais." O processo de consulta nacional, no entanto, levantou alguns pontos referentes aos testes de laboratório, mas, "ao final, houve consenso sobre o que poderia ser aceito".

lista de normas

Fonte: Guia da Construção - São Paulo/SP - junho/2013 - http://revista.construcaomercado.com.br/guia/habitacao-financiamento-imobiliario/143/artigo289917-1.asp


 

O Convênio ABNT-SEBRAE disponibiliza a Coleção Setorial de Normas Técnicas de Blocos de Concreto, que é composta por 11 Normas Técnicas, incluindo a ABNT NBR 12118:2013, ABNT NBR 13440:2013, NBR 14956:2013, parte 1 e 2, entre outras, com acesso gratuito para as Micro e Pequenas Empresas (MPE). Mediante rápido cadastro, acesse essa Norma Técnica e outras no seguinte endereço http://abntcatalogo.com.br/sebrae/setorial/

Para obter mais informações sobre o Convênio ABNT-SEBRAE ou caso tenha dúvidas sobre Normas Técnicas, entre em contato com a equipe do CIT/ABNT pelo telefone (11) 3017-3646 ou se preferir pelo formulário fale-conosco da página.